O que seria do mundo sem belas palavras?

Nome:
Local: Natal, RN, Brazil

quarta-feira, abril 06, 2005

Filtro Solar

Nunca deixe de usar filtro solar. Se eu pudesse dá uma só dica sobre o futuro seria esta: use o filtro solar. Os benefícios a longo prazo do uso de filtro solar estão provados e comprovados pela ciência. Já o resto de meus conselhos não tem outra base confiável além de minha própria experiência errante. Mas, agora eu vou compartilhar esses conselhos com vocês.

Aproveite bem, o máximo que puder, o poder e a beleza da juventude ou então, esquece! Você nunca vai entender mesmo o poder e a beleza da juventude até que tenham se apagado.Mas pode crer daqui a vinte anos você vai evocar as suas fotos e perceber de um jeito que você nem desconfia hoje em dia, quantas, tantas alternativas se escancaravam a sua frente e como você realmente estava com tudo em cima.Você não está gordo ou gorda. Não se preocupe com o futuro ou então preocupe se quiser, mas, saiba que pré-ocupação é tão eficaz quanto mascar chicletes para tentar resolver uma equação de álgebra. As encrencas de verdade em sua vida tende a ver com coisas que nunca passaram pela sua cabeça preocupada e te pegam as quatro da tarde de uma terça-feira modorrenta. Quando tem a frente uma coisa que te meta medo de verdade.

Cante! Não seja leviano como coração dos outros. Não ature gente de coração leviano. Use fio dental, não perca tempo com inveja. Às vezes se está por cima, às vezes por baixo. A peleja é longa e no fim é só você contra você mesmo. Não esqueça os elogios que receber. Esqueça as ofensas... Se conseguir isso, me ensine. Guarde contigo as cartas de amor. Jogue fora os extratos bancários velhos.

Estique-se! Não se sinta culpado por não saber o que fazer da vida, as pessoas mais interessantes que eu conheço não sabiam aos vinte dois o que queriam da vida. Alguns quarentões mais interessantes que eu conheço, ainda não sabem.

Tome bastante Cálcio. Seja cuidadoso com os joelhos, você vai sentir falta deles. Talvez você case, talvez não. Talvez tenha filhos, talvez não, talvez se divorcie aos quarenta, talvez dance ciranda em suas bodas de diamante. Faça o que quiser não se alto congratule demais e seja severo demais com você. As suas escolhas tem sempre 50% das chances de dar certo é assim para todo mundo. Desfrute de seu corpo use-o de toda maneira que puder. Mesmo. Não tenha medo de seu corpo ou do que outras pessoas possam achar dele. É o mais incrível instrumento que você jamais vai possuir.

Dance! Mesmo que não tenha aonde além de seu próprio quarto. Leia as instruções mesmo que não vá segui-las depois. Não leia revistas de beleza elas só vão fazer você se achar feio.

Dedique-se a conhecer os seus pais é impossível prever quando eles estão indo embora de vez. Seja legal com seus irmãos, eles são a melhor ponte com o seu passado e possivelmente quem vai sempre mesmo te apoiar no futuro. Entenda que amigos vão e vem, mas nunca abra mão dos poucos e bons. Esforce-se de verdade para diminuir as distancias geográficas e de estilos de vida porque quanto mais velho você ficar mais você vai precisar das pessoas que conheceu quando jovem.

More uma vez em Nova Iorque, mas mude-se antes de endurecer. More uma vez no Havaí, mas se mande antes de amolecer.

Viaje! Aceite certas verdades inescapáveis, os preços vão subir, os políticos vão saracotear e você também vai envelhecer e quando isso acontecer você vai fantasiar que quando era jovem as coisas eram razoáveis, os políticos eram descentes e as crianças respeitavam os mais velhos. Respeite os mais velhos e não espere que ninguém segure a sua barra. Talvez você arrume uma boa aposentadoria privada, talvez case com um bom partido, mas não esqueça que dum dos dois pode de repente acabar. Não mexa demais nos cabelos se não quando você chegar aos quarenta vai aparentar oitenta e cinco. Cuidado com os conselhos que comprar, mas seja paciente com aqueles que vos oferecem. Conselho é uma forma de nostalgia, compartilhar conselhos é um jeito de pescar o passado do lixo, esfregá-lo, repintar as partes feias, reciclar tudo por mais do que vale.

Mas no filtro solar... Acredite.

domingo, janeiro 16, 2005

O que é o amor

O que é o amor
Ao consultar um dicionário por aqui, fui ver o significado da palavra amor e me deparei com um significado muito vago: Amor s.m. 1. Afeição profunda. 2. O objeto dessa afeição; pessoa amada. 3. Zelo; cuidado.
Daí decidi fazer algo para complementar esta definição. Eis aqui o fruto de um momento de reflexão.
Será que amar é apenas ter uma afeição profunda por alguém, nesse caso, a pessoa amada? Complemento, embora ache que alguém discordará de mim quando direi que para amar realmente, é preciso também ser amado. Não que seja obrigatório, mas para que o significado tenha sentido, para mim, é preciso que haja uma reciprocidade, senão ir-se-á ter um amor platônico (basta saber que é aquele que é alheio a interesses ou a gozos materiais), no qual apenas uma pessoa ama, e a amada, na maioria das vezes não sabe que é o motivo de alegrias e frustrações de alguém que pode fazer parte do seu cotidiano. Digo isso porque, de certa forma sei o que é passar por uma situação como essa.
Amar é possuir um sentimento nobre e é um privilégio de poucos. Sentir seu coração bater mais forte na presença da pessoa amada é uma sensação que supera muitas outras que experimentamos na vida. Ter a presença da pessoa amada nos faz certas transformações que às vezes é questionada se não seria um sonho. E não seria?
Talvez eu possa não ser a pessoa mais certa para descrever as sensações e reações químicas que ocorrem quando nos damos as mãos e ficamos um olhando o outro, no momentos em das trocas de olhar, o que passa por nós no momento dos abraços carinhosos, do beijo, mas o que sei é que nos traz uma sensação de bem estar, e que sempre deixa-nos um “gostinho de quero mais”.
Quando o amor domina a gente, apenas o fato de estarmos andando na rua e de repente sentirmos um perfume, somos capazes de associar isso a um instante de nossa vida e lembrarmos de um momento que inconscientemente ficou marcado na nossa memória e isso nos provoca um desejo de (se bem que nunca mais seria a mesma coisa) repetir o fato ocorrido.
O amor é como uma flor que desabrocha, é o ápice de uma estória, é algo que de repente toma conta do corpo, nos faz ver com outros olhos um pôr do sol num dia em que a gente mal parou para ver se o dia tinha passado rápido. Faz nos conseguir ouvir o canto dos pássaros quando normalmente mal paramos para prestar atenção que eles estão ali presentes.
Por falar em presentes, faz um tempo, li um texto que dizia: “(...) dar presentes inesperados em momentos também inesperados(...)". É muito bom fazer isso. De repente se surpreender ao receber uma florzinha apanhada de um canteirinho. O segredo não está no valor de quanto custou o presente. O verdadeiro valor (a gente escuta muito isso) está no significado que aquele objeto tem para nós. O sentido não está em apenas dar o presente. Implícitos estão: o carinho, a alegria da pessoa que presenteia e a esperança de ver também alegria estampada no rosto do presenteado.
Agora eu me pergunto, o que se tem de interessante no ato de “ficar”? Será que o amor visto nos casais de amantes, como os namorados, está sendo posto em segundo plano, ficando no primeiro o ato de beijar e “curtir o momento”? Podem me chamar do que for, mas acho que o “ficar” destrói tudo aquilo que escrevi acima, deixando todas as idéias de amantes. E o pior é que depois de uma noite de festa, de muita “curtição”, é de costume de uma boa parte dos adeptos ao “ficar” passarem a limpo para um(a) colega, um relatório completo de cada “ficante”.
Gostaria de saber que fator é esse que modifica o comportamento das pessoas ao longo do tempo. Hoje vejo que meus pais não tiveram essas experiências, porém aceitam com naturalidade a idéia de se ter vários ficantes, paqueras ou como queira, numa mesma festa. Meus avós podem, naturalmente, rejeitar esta idéia e criticarem-na, a ponto de nós, jovens chamarmos-lhes de caretas ou antiquados.
No tempo deles, namorar não tinha o mesmo significado que tem hoje. Namorava-se, já quando o casamento estava próximo, era um estágio antes do noivado. Antes do namoro, haviam as paqueras, que era simplesmente as tentativas de conquista com trocas de olhares e bilhetinhos tímidos.
Neste momento eu estou “solteiro” e não sou um adepto ao ato de “ficar”, conseqüentemente, as formas de arranjar um amor na minha vida estão bem mais limitadas. Pois se, por exemplo, eu for a uma festa, serei capaz de continuar “solteiro” pela festa inteira. Se for para esperar, que demore mais um ano, mesmo sozinho, não vou sentir falta de dizer que “fiquei com um número x de pessoas em um determinado tempo”. Amor para mim é um assunto muito sério e não posso deixar este sentimento se confundir com apenas uma troca de beijos e abraços. Gosto de amar e ser amado e digo que é um sentimento que guardamos para o resto da vida e que sempre se renova a cada dia quando procuramos meios para que isso ocorra. Não digo muito menos que estou solitário ou que estou só por opção, pois eu não escolho a hora em que vou me apaixonar.
Perguntaram me uma vez se eu sentia falta dos beijos, abraços, trocas de olhares e carícias. Obviamente, sou um ser humano com sentimentos e respondi-lhe que mais valia a presença de alguém na sua vida do que, no fim de uma festa, contar nos dedos o número de beijos que dei. Não me acho careta em dizer isso, apenas não cultuo um modismo criado por algum desiludido que rebaixou o amor a beijos, e que alguns atribuem a isso valores de status, como forma de se achar num grupo, e estar sempre na moda. Moda essa que é passageira na nossa vida como todas as outras modas que já passaram por nós e que não podemos nos deixar levar por todas elas.
Depois desta discursão, vou dormir o resto de noite que me resta e ficar pensando o que me espera. Também pensarei o que eu posso presenciar quando tiver meus filhos. Será que eles ainda vão “ficar”?

---

Escrevi este texto a um ano e meio, em uma das minhas noites sem sono.

domingo, outubro 31, 2004

O MENINO DAS MEIAS VERMELHAS

Todos os dias, ele ia para o colégio com meias vermelhas. Era um garoto triste, procurava estudar muito mas na hora do recreio ficava afastado dos colegas, como se estivesse procurando alguma coisa. Os outros guris zombavam dele, implicavam com as meias vermelhas que ele usava. Um dia, perguntaram porque o menino das meias vermelhas só usava meias vermelhas. Ele contou com simplicidade:"No ano passado, quando fiz aniversário, minha mãe me levou ao circo. Botou em mim essas meias vermelhas. Eu reclamei, comecei a chorar, disse que todo mundo ia zombar de mim por causa das meias vermelhas. Mas ela disse que se me perdesse, bastaria olhar para o chão e quando visse um menino de meias vermelhas saberia que o filho era dela". Os garotos retrucaram: "Você não está num circo! Porque não tira essas meias vermelhas e joga fora?". Mas o menino das meias vermelhas explicou: - É que a minha mãe abandonou a nossa casa e foi embora. Por isso eu continuo usando essas meias vermelhas. Quando ela passar por mim vai me encontrar e me levará com ela".


Carlos Heitor Cony


CRESCER É...

Crescer é...

Ser cada dia um pouco mais nós mesmos...
Dar espontaneamente sem cobrar inconscientemente...
Aprender a ser feliz de dentro para fora...
Buscar no próximo um meio de nos prolongarmos...
Sentir a vida na natureza...
Entender a morte como natural da vida...
Conseguir a calma na hora do caos...
Ter sempre uma arma para lutar e uma razão para ir em frente...
Saber a hora exata de parar e buscar um algo novo...
Não devanear sobre o passado, mas trabalhar em cima dele para o futuro...
Reconhecer nossos erros e valorizar nossas virtudes...
Conseguir a liberdade com equilíbrio para não sermos libertinos...
Exigir dos outros, apenas o que nós damos a eles...
Realizar sempre algo edificante...
Ser responsável por nossos atos e por suas conseqüências...
Entender que temos o espaço de uma vida inteira para crescer...
Nos amarmos para que possamos amar os outros como nós mesmos...
Assumir que nunca seremos grandes, mas que o importante é estar sempre em crescimento.


Romântico

Você é o céu pela beleza infinita, e essência pura no perfume que exala. É o amor, que de uma forma tão bonita, estremeceu-me e deixou-me quase sem fala. É a grandeza que se exprime humildemente, uma beleza que cintila com ternura. É a paixão que abordou-me tão derepentepra ser eterno, e não apenas uma aventura. Você é fogo, embora a timidez te impeça, sinceridade toda vez que acarinha-me. Minha carência de amor perdeu a pressa, pois com você eu não vou mais ficar sozinho. Se somos dois, não há motivos para temores,se formos um, o mundo para pra nós dois,n ão temos tempo para viver novos amores, e nem motivos, para deixarmos pra depois.

Te amadoro a cada dia mais!!!!

Saudade

Saudade é solidão acompanhada,
é quando o amor ainda não foi embora,
mas o amado já
...
Saudade é amar um passado que ainda não passou,
é recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida
...
Saudade é sentir que existe o que não existe mais
...
Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam
...
Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.
E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido

Pablo Neruda

Eu amo você!

Como eu amo você...
Amo seu olhar, que me fascina e me conduzas estrelas do céu.
Amo sua boca, que fala ao meu ouvido palavras doces, mágicas que alimenta o meu viver.
Amo seu corpo, suas mãos, a sua maneira deconduzir a cada nova noite.
Amo você, terno e grande amor da minha vida, que trás ao meu mundo,
toda a felicidade que um ser humano necessitapara ser completo e realizado.
Você me faz feliz...

terça-feira, outubro 26, 2004

Poucas palavras..

Hoje nasce mais um blog neste mundo.
Em vez de estar estudando como meu amigos que estão aqui do meu lado, estou escrevendo neste blog. Tenho prova daqui a pouco. Mais tarde eu penso no que escrever!